Festival Flamenco de Lisboa 2016

COM APOIO DE

Festival Flamenco de Lisboa 2016

A 9ª edição, propõe no incomparável palco do Teatro da Trindade três concertos de guitarra, baile e cante flamenco.

Harmonia a compás. 2016, Flamenco atlântico, luminoso, azul, misterioso.

Javier Conde, guitarrista virtuoso, respeito aos maestros, flamenco de dentro, flamenco da extremadura.

Columna Flamenca, “Corpo Sonoro”, bailaora, pesquisa, feminina, telúrica.

Manuel Fernández Montoya, “El Carpeta”. Dinastia “Los Farruco” , irmão mais novo de Farruquito, estreia em Portugal.O presente e o futuro do novo baile flamenco.

O Flamenco, como património, “rompiendo las camisas” do “bom pano” português.

GALERIA

Zaira Santos

Baile

Paco "El Levita"

Cante

José A. Conde

Segunda guitarra

JAVIER CONDE

O artista, natural de Cáceres, é um dos guitarristas flamencos de maior projecção. O seu respeito aos maestros e o seu próprio compás flamenco projectam com força que venha a ser um dos grandes pilares da guitarra e do flamenco da Extremadura no mundo.

Prémios

2002 | 1º Prémio no II Certame ”ATENEO DE CÓRDOBA” (Córdoba) | 1º Prémio “PACO DE LUCENA” (Lucena/Córdoba)

2003 | 1º Prémio no VI Certamen Internacional de Guitarra Flamenca “CIUDAD DE JAÉN”(Jaén)

2004 | Prémio “BORDÓN MINERO” no XLIV Festival internacional “CANTE DE LAS MINAS”.(La Unión/Murcia) | Prémio Nacional de la Critica “MIGUEL ACAL”, da associação nacional de críticos, escritores e investigadores de flamenco.

Juantxin Osaba

Guitarra

Aitana de los Reyes

Baile

Enrique ||el Remache||

Cante

Bastian Santos

Percussão / voces

Youseff Loukili

Percussão / voces

COLUMNA FLAMENCA

Companhia criada em Lisboa en 2016, com artistas de várias nacionalidades.
Experimentação, intervenção, improvisação, baile, electrónica. Etiquetas superadas que dão lugar a um trabalho de flamenco “jondo” revisitado. Esta ópera prima da Cia, CORPO SONORO é um tríptico intimista de baile flamenco, LA RAYUELA, DONDE ESTA FEDERICO, E STREETHASSLE.

Ficha artística

LA RAYUELA (25 Min). Solea, Rumba 4x4, Bulerias, Verdiales/bandolao.
Na procura da felicidade, aquela que está perto de nós, à altura dos nossos pés. “Por qué no aceptar lo que está ocurriendo sin pretender explicarlo”, Julio Cortazar.

DONDE ESTA FEDERICO (25 min). Seguirilla.
Federico Garcia Lorca, está próximo, mas tentamos encontra-lo, às vezes com desespero e nessa altura procuramos no mais profundo de cada um de nós.

STREET HASSLE (20 min). Buleria
Versão livre por bulerías da música de Lou Reed, composta em 1986.

GALERIA

El Carpeta

Baile

 

 

Ezequiel Montoya

Cante y palmas

 

 

Juan Fdez. “El negro”

Cante y palmas

 

 

Raul Vicenti

Guitarra

 

Melchor Borja

Piano, Bajo electrico

Fali del Eléctrico

Percusión

MANUEL FERNÁNDEZ MONTOYA “EL CARPETA”

Manuel Fernández Montoya “El Carpeta” (Sevilha, 1997). Neto de “Farruco”, filho de “La Farruca” e irmão de “Farruquito” e de “Farru”.

É evidente que a sua raça e forma de sentir o baile flamenco lhe vem de casta.

Foi batizado pelo seu avô com a alcunha de “Carpeta” porque desde pequeno absorvia como uma esponja toda a arte que se esbanjava em casa, guardava tudo numa pasta (carpeta) e agora começa a mostrar tudo o que leva dentro dela. O olhar deste artista penetra e intimida como o da sua mãe, tem a consistência seu irmão Juan e remata como o seu irmão António, gira como o seu avô e a tudo isto põe a sua alma.

É um pequeno animal selvagem que nunca será domesticado. Às vezes parece que baila com raiva apertando os dentes e outras vai passeando chamando a elegância.

Ao “El Carpeta” é anunciado um futuro de êxito nos palcos. Aposta na sua verdade e no seu baile e os aficionados esperam por ele com inquietude e desejo.

Por agora é a ultima ligação da raça. Desfrutemos com outro herdeiro do baile flamenco, por direito e por sangue, Manuel Fernández Montoya “El Carpeta”, nascido nas entranhas do flamenco que baila e oferece momentos mágicos em cada uma das suas actuações.